Honda revela detalhes e informações do WR-V, que chega em março

Um dos destaques do Salão do Automóvel de São Paulo, o Honda WR-V finalmente teve suas primeiras informações oficiais divulgadas pela marca. Apesar da estreia próxima, marcada para março, os preços ainda não foram divulgados, mas devem ser intermediários entre as versões mais caras do Fit e as mais baratas do HR-V – ou seja, a partir dos R$ 78.900.

A semelhança visual com o Fit não é mera coincidência: na prática, por mais que a Honda o chame de SUV compacto, destacando as modificações visuais e mecânicas, o novo carro pode ser considerado uma versão aventureira do monovolume.

Dele, o WR-V empresta o interior, que se diferencia apenas pelos painéis das portas e pelas abas dos bancos na cor laranja. Nas dimensões, o parentesco é reforçado. São 4 metros de comprimento, 1,6 de altura, 1,73 de largura e 2,53 de entre-eixos, contra, respectivamente, 4, 1,5, 1,69 e 2,53 do Fit. O vão livre em relação ao solo passa de 14,5 para 17,9 cm.

Por fora, a dianteira é exclusiva e tem maior aspecto de robustez pelos faróis instalados em posição alta e ligados por uma larga régua cromada. O para-choque também tem vincos que evocam mais força ao utilitário. As luzes diurnas (DRL) serão de led e, segundo apuramos, um equipamento de série – algo que também será aplicado no Fit normal.

Na parte de trás, as lanternas do Fit ganharam uma extensão horizontal na tampa do porta-malas. O rebaixo da placa desceu. As rodas são exclusivas e, como nos outros modelos da marca, deverão ser as mesmas em todas as versões.

Mesmo com base no Fit, o WR-V recebeu elementos do irmão maior, HR-V, como o eixo traseiro de alta rigidez. Os amortecedores também são reforçados para garantir maior robustez ao WR-V. A caixa de direção, com raio de 5,3 metros e assistência elétrica, foi desenvolvida exclusivamente para o modelo.

Debaixo do capô, não há novidades. O motor é o mesmo de Fit e City: 1.5 flex de 115/116 cv e 15,3/15,2 mkgf com etanol/gasolina. Inicialmente, a transmissão será apenas a CVT, com relação contínua e conversor de torque.

Uma fonte ligada às concessionárias da Honda afirma que serão duas versões de acabamento, provavelmente EX e EXL, seguindo o padrão de nomeclatura da marca. O WR-V EX estaria mais alinhado com o Fit EXL (hoje tabelado em R$ 78.900), enquanto o top de linha EXL ficaria próximo à versão de entrada do HR-V (a LX, por R$ 86.800).

Pelas estimativas de preço, é possível antecipar que o WR-V irá concorrer com os tradicionais aventureiros – como Weekend Adventure (R$ 72.570) – e também com os SUVs compactos mais acessíveis – como o EcoSport Freestyle (R$ 77.000) e Duster Dynamique (R$ 72.580).

Seus pontos fortes devem ser os mesmos do Fit: ótimo aproveitamento de espaço interno, modularidade e a fama do pós-venda da Honda, sempre muito bem avaliado. Por outro lado, ele deve seguir a estratégia (bem-sucedida até agora) de custar mais que os concorrentes, apostando na força da marca para compensar o valor maior.